Pela banalização do paetê

Já comentei por aqui algumas vezes sobre o meu eterno amor por brilho e paetês. Sim, se eu não tivesse nascido mulher, seria uma drag queen daquelas bem montadas. Então, vou aproveitar a animação de carnaval de vocês para ver se converto alguém para fazer parte do casting de RuPaul’s Drag Race comigo hehe

7ea045c57b2c3a4398640f1a3f828bc1

A grande questão é que nossas peças brilhosas são sempre exiladas para a noite, quando podiam muito bem estar pegando um solzinho e o ar fresco do dia. Em materiais relax, como o moletom, ou acompanhada de peças mais básicas, como aquela calça jeans curinga que todo mundo tem, os paetês – meus brilhos preferidos -, lurex e derivados são ótimos jeitos de transformar uma produção básica numa roupa super divertida e descoladinha.

Ainda não convenci? Então olha essas inspirações aqui e separa a peça da folia pra usar nesse verãozão :)

paete 03Shortinhos e saias são os mais fáceis, é só combinar com uma camiseta, rasteirinha ou tênis e tá pronta pra bater perna por aí. Rola também o truque do casaco da cintura – que tá todo mundo usando -, mas que com paetês fica bem mais legal ;) Daí se você for num bar abertou a noite, cineminha ou outro lugar com ar condicionado, é só jogar por cima do look basicão e sua drag interna vai sambar de saltão na diva do normcore (que também é linda, diga-se de passagem hihi #aindecisa)

paete 02Para não ficar com tanta cara de noite, o mais legal é focar em peças retas, soltinhas e mais básicas. Um short larguinho, cardigan etc, etc. Vestidões de moletons também são in-crí-veis, mas só dá pra aproveitar a ideia no inverno porque esses agradáveis 50° do verão carioca não tão me facilitando. Se você consegue usar moletom agora, mesmo dos mais fininhos, tô te invejando muito. Ah, aproveita também pra curtir um conforto, já que os visuais com tênis são super bacaninhas e relax, exatamente por causa desse contraste todo!

Sim, eu avisei que era drag queen. Espero que tenha contagiado vocês. Mais brilho, por favor

mg_6367-copyAliás, acho que isso dá uma série, hein!? Batom colorido, cropped, acessórios de cabelo, maxi bijous…O que vocês acham?

Beijos, beijos

A moda que eu quero em 2015

Eu já comentei em outros posts alguns dos motivos de ter abandonado o blog e, é claro que entre mudanças e falta de tempo, outro fator que contribuiu demais para eu desanimar de escrever por aqui foi o cansaço desses padrões e imposições que o mundo da moda acaba colocando sobre todo mundo.

E aí aquela minhoquinha da censura fica passeando pela cabeça te fazendo achar que você não pode usar nada, que aquele cropped não é para “qualquer um” e que a saia mais justa marca uma barriguinha que “não deveria estar aí”. Que o cabelo precisa estar “no lugar” e que aquela hotpant “não vai bem com seu bumbum”. Não deveria pra quem? No lugar de que? Não vai bem por que?giphy

E o pior é que esses padrões totalmente inatingíveis nos atacam desde muito cedo e, de repente, você vê uma foto com 47 kg aos 15 anos, quando achava que era gorda. GORDA. Com 47 míseros quilos. Essa que vos fala era magérrima e se espelhava em que? Em Vogues, America’s Next Top Model e é claro que não seria igual àquelas modelos. E não era só eu: eram as primas, amigas de colégio, de natação,… E não, com 21 anos e alguns (muitos!) centímetros a mais, ainda não sou completamente impune a esse padrão e, por isso, passei a ter medo de continuar escrevendo e acabar dizendo o que vocês precisam ou devem fazer para disfarçar ou esconder sei lá o que.

Mais do que esses modelos de beleza completamente loucos, não queria, também, dizer o que era must have da temporada ou tendência obrigatória da vez. Isso todas as revistas e sites mais tradicionais fazem muito bem e acabam, também de maneira exemplar, transformando as ruas em vitrines de looks idênticos e pré-fabricados em street styles fotografados em fashion weeks. Não, obrigada. Isso estava me fazendo odiar a moda, achar que eu não podia vestir as mesmas peças das its, já que não me encaixava, e me restringir exatamente onde eu sempre pude me expôr.

large

As roupas foram feitas para vestir, cobrir nossos corpos para o mundo civilizado. E, dentro dessa padronização maluca, a moda nos proporciona fugir do lugar comum, mostrar para quem quiser ver – e não quiser também – de quantas cores somos feitos, que estampas expressam quem somos, qual comprimento retrata o sentimento do dia, da semana, do ano.  E é isso o que eu mais quero ver daqui pra frente: moda real, feita por gente de verdade que não está se importando tanto assim com o que está rolando na passarela.

É claro que ainda gosto de ver tendências e um Balmain ou uma belo photoshoot faz meus olhinhos brilharem, afinal, é arte. Mas a arte também pode estar visitando outras culturas, corpos e cores. Aliás, esses são muito mais ricos exatamente por não precisarem de dinheiro e o glamour dos holofotes para brilharem. Repara só no metrô, na faculdade, na menina desconhecida da sua rua. Tenho certeza que em algum desses lugares existem pessoas tão interessantes (ou mais, na minha humilde opinião) que it girls bombadas.

2012-newyear-quotes-2

E, com esse texto meio sem nexo, fio condutor ou conclusão adequada, quero dizer que vou frequentar mais meu espaço preferido, continuar escrevendo sobre o que eu gosto e, também, que desejo para vocês – e para mim! – um 2015 com menos censura, preocupações e muito mais diversão, (ins)piração, cores, formas e auto conhecimento. Na moda e na vida. Feliz Ano Novo e nos vemos mais vezes por aqui :)

Beijos, beijos

[DIY] Mochila jeans e a renda

Alguém acreditaria se eu dissesse que essa mochila tem uns 7 anos?IMG_20130517_125125Olha, eu não sei no mundo de vocês, mas no meu quase todo mundo teve uma mochila jeans na adolescência. Eram todas quase iguais, só mudavam a cor do couro (marrom ou preto) e a loja de surfwear em que foram compradas. Eu usei a minha durante um ano e larguei no armário porque ainda estava quase nova. Outro dia estava arrumando minhas bolsas e…IMG_20130422_220245Olha ela aí, tão novinha (e sem graça) quanto antes. Mas jeans e couro estão na moda, certo? Então ela tinha que ter potencial! Achei que renda e spikes combinariam perfeitamente :)

Mãos na massa!

Mãos na massa!

Como a renda é vazada, precisava cobrir a logo. Catei o pedaço de jeans mais próximo ao do tom da mochila (sempre guardo as pernas das calças que corto hehe), cortei do tamanho mais próximo possível e costurei.bolsa 2Eu sei que ainda ficou diferente, mas, sinceramente, você notou na primeira foto? Com a renda por cima acaba ficando bem discreta essa diferença!

Depois, fixei a renda na mochila com alfinetes, espetando bem próximo às bordas e tomando cuidado pra ela ficar esticadinha. Feito isso, cortei a renda mais ou menos no formato da frente da bolsa.bolsa 3

945795_484520061614491_1701696604_nAgora vem a parte mais chata: costurar a volta inteira da mochila (confesso que deu preguicinha). Meio entediante, mas zero mistério! Cortei as bordinhas que restaram – vide canto esquerdo da foto aí de cima – e fiz o acabamento dos cantinhos com cola pano. Não tem na foto dos materiais porque eu não ia fazer isso, mas renda tem uma coisa meio chata de puxar fio e a cola ‘segura’ o tecido no lugar. Achei válido!IMG_20130516_194235Só porque eu sou viciada – e vocês já devem ter reparado-, apliquei spikes douradinhos no couro. São daqueles bem tradicionais de 4 pinos atrás pra amassar. Se ficar difícil de colocar com a mão, fure antes com a ponta de uma tesoura :)IMG_20130517_124923

E uma mochila novinha e linda ficou pronta com menos de R$15 :)

Foto do Instagram | @cleosantiago

Foto do Instagram | @cleosantiago

E aí, gostaram?

Beijos e um ótimo fim de semana!

 

Look do dia: legging florida

Só de escrever ‘legging florida’ no título do post já me sinto julgada!haha Eita pecinha complicada, né? Quer dizer, as pessoas que a complicam, porque minha perna é rechonchudinha e uso mesmo assim, linda e loira (ou quase). Já falei algumas vezes que a gente deve usar o que quiser, desde que nos sintamos bem e o espelho não grite pra nós! Ficaria melhor numa perna magrinha? Com certeza, mas é isso que tem pra hoje.

Combinei com uma camisa preta transparente e coloquei uma regatinha da mesma cor embaixo por causa do decote e do cós – ou falta dele – da legging. Dei um nózinho na ponta porque eu sou viciada achei que a blusa ficaria melhor se não fosse tão solta e, mesmo que não pareça na foto, ela continuou compridinha atrás, cobrindo o bumbum. Pra suavizar bem a vibe Suellen da calça, usei meu coturno lindão marrom.

Eu já estava com um super florido nas pernas, mas quem disse que me contento com isso? Achei marrom e preto neutros demais, daí coloquei minha bolsa vermelha e fui ser feliz.

Sei que algumas fotos ficam um pouco esquisitas, é que eu bato tudo sozinha, relevem!

Pra variar, mix de pulseiras, alianças e um brinco pequeno – dessa vez é esse quarteto de caveirinhas, muito amor!

Tem Instagram? Segue lá @cleosantiago

Camisa preta – Renner

Legging florida – Lojinha de bairro

Coturno marrom – Bottero

Bolsa vermelha – Feira de Providência 2011

Brinco e pulseiras – Vendidos pela mamãe e DIY

Aliancinhas – Só Deus sabe

Óculos – LupaLupa

Beijos, meninas.

 

Look do dia: neon e cinza

Hoje eu usei aquele shortinho neon que já apareceu por aqui, mas num look bem diferente. Cismei que queria usar amarelo marca-texto com cinza e nada tirou isso da minha cabeça, só que eu não estava afim de combinar com uma simples t-shirt porque eu já vi tanto por aí que enjoei. Achei essa blusa perdida na gaveta, ela tem um detalhe lindo na gola, mas odeio o jeito que as alças ficam, por isso, joguei um coletinho jeans por cima, disfarçando tudo.

Sai post, entra post e eu não consigo melhorar essa careta, né?

Quando eu coloquei a roupa nem me liguei, mas depois fui reparar e, meu Deus, como eu ando viciada em spikes! Sapatilha, bolsa, pulseiras, gola do colete, tudo devidamente espetadinho.

Short neon – Renner

Blusa cinza – só Deus sabe

Colete jeans – presente do namorado

Bolsa preta – Saara

Sapatilha preta – Stylu’s (essa coleção tá boa mesmo)

Brinco camafeu – Pink Bijou

Pulseiras – vendidas pela mamãe

 Eu gostei bastante desse look e acho que vou repetir ele por aí, o que vocês acharam?

Beijos, beijos

Look do dia: Maroon 5

O post de hoje é pra ler com trilha sonora!

Já ouviu falar que a esperança é a última que morre? Pois bem, não consegui comprar os ingressos do M5 na época que começaram a vender, mas essa semana eu decidi que ia ver o Adam e fiquei enlouquecida atrás de entradas com um preço pagável. Enchi o saco de tanta gente que de última hora uma amiga arrumou um ingresso com preço original! rá Valeu a pena, viu!? Que show foi esse!

Vamos a roupa, né? Admiro quem consegue ir montada pra show, mas gente, comigo não rola. Eu preciso estar super confortável pra cantar loucamente cada música, ficar em pé cada segundo vendo a banda que eu curto. Fui de shortinho, blusa de malha e slipper. É lógico que cada uma dessas peças tinham seu elemento perua, fora maquiagem e acessórios ou então não seria eu! haha

O shortinho com barra ondulada é aquele que eu customizei, a blusa de malha tinha mangas – porque de noite dá uma esfriadinha – e paetês dourados no ombro. O slipper de oncinha que é mega confortável e uma bolsa lateral, do tamanho ideal pra caber o necessário e ficar pendurada sem que eu precise me preocupar com ela.

O cinto, as pulseiras, o brinco – quanto tempo eu não usava um grandão assim, desacostumei – e o batomzão vermelho foram só pra dar uma animadinha a mais na composição. Afinal, se eu não tivesse nascido mulher seria um travesti!

Shortinho scalloped – DIY

Blusa com paetês – lojinha de bairro

Cinto oncinha – feirinha de bairro

Slipper oncinha – Stylu’s

Bolsa marrom – Marisa

Bijouterias – todas vendidas pela mamãe

E a voz se salvou por pouco! haha

Beijos

Look do dia duplo

Acho que estou me superando, hein!? Hoje não tem um, mas DOIS looks do dia! hehe  Resolvi postar uma produção mais relax para mostrar que é possível ficar digna no dia a dia sem muito esforço e outra levemente mais arrumada,  usada pra ir numa festinha de fim de tarde.

E assim eu fui hoje pro curso: short detonadinho, blusa com nó na lateral, cardigan azul, bandana vermelha na cabeça pra dar mais vida (e esconder a franja bagunçada). Acabou ficando meio navy, né? Adoro essa cartela de cores.

Pé sem esmalte: tensão!

Um bom wayfarer pra esconder as olheiras, já que acordei MEGA atrasada – estudar sábado de manhã não é de Deus, não -, chinelinho  e bolsa de guerra, cordão super fofo (tem um passarinho dentro, é muito amor) porque achei que estava tudo muito simples e relógio dourado pra combinar.

Blusa podrinha – só Deus sabe

Short jeans podrinho – C&A

Cardigan azul – Citycol (eu seeeei!)

Bolsa – comprada na Feira da providência

Chinelinho – só Deus sabe

Relógio – Mondaine

Cordão gaiola – C&A

Óculos – LupaLupa

O segundo look foi todo feito em cima do meu short neon, eu queria porque queria usar! Vocês também são assim quando compram uma peça? Pareço criança com um brinquedo novo. Me desafiei a fazer uma combinação que não tivesse só neutros! Pra suavizar o fluorescente, coloquei uma blusa verde menta e uma camisa preta levinha, aberta, só com um nó no final. Sapatilhas nude, porque eu não sou de ferro, e bolsa preta pequena pra não ter que me preocupar com ela  a festa inteira.

Acho que eu cortei um tiquinho demais a franja :/

Pra finalizar, o mix de pulseiras usual, um maxi colar prata e anéis mais delicados. A maquiagem foi feita naquele esquema fast que eu comentei aqui.

Bom, postei antes da festa porque, né, depois vai ser difícil! haha

Short neon – Renner

T-shirt menta – só Deus sabe

Camisa preta – Renner

Sapatilha nude – Stylu’s

Anéis, cordão e pulseiras – obras da mamãe

Pulseiras de pedras – DIY

Beijos :)

[DIY] Cap Toe

O cap toe é, basicamente, um sapato que tem a biqueira diferente do resto, seja na textura ou na cor. Foi criado por Coco Chanel nos anos 1950 (sabem aquela  sapatilha bicolor clássica?), mas vem reaparecendo há umas duas temporadas.

Quando descobri aquela história de pintar sapatos com esmalte logo surgiu a vontade de fazer uma biqueira amarela nesse scarpin. Tá, eu sei que ‘um scarpin preto sempre é um scarpin preto’, mas esse não é o básico ideal simplesmente por não ser tão confortável, então era o candidato perfeito para minha experiência. Antes de tudo, achei importante descobrir como o material dele se comportava com esmalte e acetona, porque, né, não morro de amores mas também não queria perder o sapato. Fiz o teste na lateral interna dele porque não apareceria caso desse errado. Teste feito, tudo certo: mãos na massa!

Primeiro, limpei o sapato com álcool e um paninho pra tirar qualquer sujeirinha que pudesse estar grudada:

Sapatinho devidamente limpo!

Depois delimitei a área que eu ia pintar com fita crepe, tomando cuidado pra ficar igual dos dois lados e bem grudadinha para o esmalte não ‘sangrar’. Peguei um pincel macio de tamanho médio – o pincel do próprio esmalte pode marcar! -, esmalte branco normal (não pode ser de secagem rápida) e um potinho seco e limpo pra despejá-lo. É importante fazer essa base branca ou você corre o risco de ficar com um amarelo todo manchado no final.

Momentos de tensão!

Aviso logo que a primeira camada de branco foi triste, ficou marcado e eu pensei que fosse dar tudo errado. Se acontecer com você, não desanime! Passei a segunda camada, tomando cuidado pra ir sempre em um sentido só. Não ficou mil maravilhas não, mas a melhora foi de uns 200%. Esperei secar bem (é rapidinho) e comecei a passar o amarelo também em uma única direção.

Bem de perto, com todos os defeitos / Depois de uma camada de amarelo

Gente, o amarelo fez milagre! Com uma camada já estava bem legal, então depois eu só fui cobrindo uns defeitinhos que passaram batidos na primeira olhada (como o cantinho da junção da sola com o bico que ainda estava preta). Tirei a fita crepe logo assim que acabei de pintar, porque fiquei com medo do esmalte repuxar se secasse. O único probleminha que eu tive foi que uns pedacinhos da fita ficaram colados no sapato, mas foi fácil de resolver, só esperei secar um pouquinho e tirei com a unha mesmo haha

Apaixonei!

Adoreeeei o resultado! Como o esmalte forma uma película, o bico perdeu a textura do sapato e ficou com cara de biqueira mesmo, daquelas que vem de fábrica! Antes que alguém pergunte, eu poderia ter usado tinta couro pra ter o mesmo efeito, mas preferi o esmalte por dois motivos: é muito mais fácil achar cores legais de esmalte e eu posso não querer um sapato preto com a ponta amarela pra sempre, né!? Sempre existe a vantagem de poder tirar se eu enjoar! Quanto à durabilidade eu não posso dar nenhuma opinião ainda, mas vou tentar usá-lo o mais rápido possível e contar o que aconteceu ;)

nhom nhom nhom

Modéstia a parte, eu AMEI! O que vocês acharam?

Beijos e um ótimo final de semana!

Look do dia: verde+oncinha

Hoje fui ao shopping fazer umas comprinhas. Sabe quando você vê uma peça e ela fica batucando na cabeça? Pois é, voltei pra arrematar! haha Como eu ia bater bastante perna, o look tinha que ser mega confortável, então peguei essa calça verde mais soltinha que o normal, uma t-shirt com estampa liiinda de bicicletas(?) – ela é mais larga em baixo, fica um pouco esquisita, mas enquanto eu não ajusto uso com nózinho mesmo – combinada com maxi colar,  slipper de oncinha e bolsa marrom com uma onça mais discreta. O pulseirismo é o mesmo de sempre, já mostrei aqui no blog.

Desculpem pela qualidade e locação, mas sozinha, sem tripé ou móvel na altura certa o jeito é tirar foto assim mesmo :/ Como aqui não dá pra ver direito, tirei fotos decentes dos detalhes:

Vocês acham melhor eu esperar por condições decentes pra fazer esse tipo de post ou preferem que eu faça assim mesmo?

Um beijo

Bandeirismo + 1° e 2° dias de workshop

Foto: Reprodução / Edição: Cléo Santiago

Olímpiadas? Copa do Mundo? Qualquer mega evento desses é sinônimo da cultura e imagem do país/cidade sede em alta, certo? Com os jogos olímpicos em Londres não foi diferente e estão chovendo por aí compartilhamentos ‘londrinos’ nas redes sociais (blergh), camisas divertidas, soldadinhos da rainha, etc. Mas, sem dúvida nenhuma, o que virou – ou foi adaptado dos USA –  tendência mesmo são peças com a bandeira do Reino Unido (pelo amor de Deus, essa vermelha e azul NÃO é da Inglaterra, como eu já vi até lojas falando.)

Não sou lá tão fã dessas nail arts ou de peças com giga bandeiras, mas sou deveras louca por essa clutch do McQueen, amei esse case do Iphone e simpatizei bastante com esse shortinho. Independente do seu gosto em relação as roupas em si – já que isso é super pessoal – acho que o grande segredo, como em qualquer outra tendência, é o equilíbrio. Não vai sair usando tudo junto que nem uma ‘u.k.aholic’  ou com outras peças mega estampadas, né?(a não ser que você seja ultra expert e saiba fazer um mix como ninguém). Separei alguns looks interessantes pra dar uma inspirada:

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Percebam o quão legal é pensar fora da caixinha e usar uma t-shirt com gola extra e saia de couro, por exemplo. Nada precisa ser tão óbvio, nos vestir pode ser realmente divertido e prazeroso, só precisamos nos permitir pirar!

Aliás, falando em piração, preciso comentar a contar pra vocês sobre o worshop de moda sustentável que eu falei no último post, né? Primeiramente, tenho que elogiar o SESC, suas instalações e o tratamento que nos é dado. Tudo de primeiro mundo, parece que pagamos milhões pelo curso (que foi de graça). Ah, se tudo fosse assim! Mas, vamos ao que nos interessa aqui, né?

O primeiro dia é sempre aquela coisa de apresentações, descobertas, etc, mas já posso dizer que adorei minha turma e as ministrandas. Todo mundo bem entrosado. A tarde tivemos uma palestra sobre uma ONG que faz bolsas a partir de lonas vinílicas e, na boa, tinha uma pasta masculina lá que venderia numa Ellus da vida fácil, fácil. O debate que rolou me fez refletir bastante sobre exageros no consumo, o impacto ambiental que causamos, etc. E hoje finalmente começamos a parte divertida da história toda: customização! Estou com uma t-shirt galaxy e um short jeans ombré em andamento, aguardem! haha

Um pouco (tem muuuuito mais) dos brinquedinhos disponíveis no atelier:

Foto: Cléo Santiago

Bom, meninas, é isso! Amanhã temos cenas dos próximos capítulos :)

Beijos