Kim Kardashian: a culpada

Logo que surgiram as saias midi e no joelho, torci o narizinho, mas logo me apaixonei pelas mais soltinhas e rodadas. Agora, modelo lápis? Nem pensar! Too sexy mama, muito apertadinho, achatava meu corpinho de 1,60 até que…Kim Kardashian aconteceu na minha vida ♥IMG_20150719_213631098

Essa mulher exagera, “escorrega” pra caramba fashionisticamente, mas, apesar de todas as polêmicas, provou de vez pra mulherada que não tem problema nenhum mostrar as curvas e que dá pra ficar gata sem ser magérrima. Tanto que a coleção da Kim para C&A foi o maior sucesso e as peças mais cool – saias e top croppeds – esgotaram rapidinho. E foi com uma peça dela mesmo que eu estreei meu amor curvalicius ;) Como eu estou curtindo usar? Bom, não exatamente como a Mrs. West:

CAMISA AMARRADA NA CINTURAMidi_01

Amo essa mistura que deixa tudo bem moderninho. Aliás, tênis e camisas têm sido companheiros constantes no meu dia a dia por serem super confortáveis e se adaptarem facilmente. Amor sincero, amor verdadeiro que ainda esconde minha barriguinha saliente :)

T-SHIRTS E REGATASMidi_02

De novo a mistura de pesos das peças: uma mais feminina e arrumadinha e outra mais casual e podrinha. AMO! Simplesmente porque dá para usar a saia em situações bem informais que são, basicamente, toda a vida de uma pessoa que faz publicidade e trabalha com moda. A gente nunca precisa de um scarpin e uma camisa social.

Garimpei algumas peças nessa vibe que dá pra encontrar por aí com um preço bacana – porque nessas marcas fancy a gente já sabe que tem, mas, né?Saia-Kim-Kardashian_onde-comprar

ColcciRennerBazis

Vale dizer também que visitas a lojas da Forever 21, Zara e C&A são muito bem vindas! Vi umas lindas por lá com tecidos mais grossinhos – que geralmente caem melhor em mim ;) Partiu?

Beijos, beijos

A moda que eu quero em 2015

Eu já comentei em outros posts alguns dos motivos de ter abandonado o blog e, é claro que entre mudanças e falta de tempo, outro fator que contribuiu demais para eu desanimar de escrever por aqui foi o cansaço desses padrões e imposições que o mundo da moda acaba colocando sobre todo mundo.

E aí aquela minhoquinha da censura fica passeando pela cabeça te fazendo achar que você não pode usar nada, que aquele cropped não é para “qualquer um” e que a saia mais justa marca uma barriguinha que “não deveria estar aí”. Que o cabelo precisa estar “no lugar” e que aquela hotpant “não vai bem com seu bumbum”. Não deveria pra quem? No lugar de que? Não vai bem por que?giphy

E o pior é que esses padrões totalmente inatingíveis nos atacam desde muito cedo e, de repente, você vê uma foto com 47 kg aos 15 anos, quando achava que era gorda. GORDA. Com 47 míseros quilos. Essa que vos fala era magérrima e se espelhava em que? Em Vogues, America’s Next Top Model e é claro que não seria igual àquelas modelos. E não era só eu: eram as primas, amigas de colégio, de natação,… E não, com 21 anos e alguns (muitos!) centímetros a mais, ainda não sou completamente impune a esse padrão e, por isso, passei a ter medo de continuar escrevendo e acabar dizendo o que vocês precisam ou devem fazer para disfarçar ou esconder sei lá o que.

Mais do que esses modelos de beleza completamente loucos, não queria, também, dizer o que era must have da temporada ou tendência obrigatória da vez. Isso todas as revistas e sites mais tradicionais fazem muito bem e acabam, também de maneira exemplar, transformando as ruas em vitrines de looks idênticos e pré-fabricados em street styles fotografados em fashion weeks. Não, obrigada. Isso estava me fazendo odiar a moda, achar que eu não podia vestir as mesmas peças das its, já que não me encaixava, e me restringir exatamente onde eu sempre pude me expôr.

large

As roupas foram feitas para vestir, cobrir nossos corpos para o mundo civilizado. E, dentro dessa padronização maluca, a moda nos proporciona fugir do lugar comum, mostrar para quem quiser ver – e não quiser também – de quantas cores somos feitos, que estampas expressam quem somos, qual comprimento retrata o sentimento do dia, da semana, do ano.  E é isso o que eu mais quero ver daqui pra frente: moda real, feita por gente de verdade que não está se importando tanto assim com o que está rolando na passarela.

É claro que ainda gosto de ver tendências e um Balmain ou uma belo photoshoot faz meus olhinhos brilharem, afinal, é arte. Mas a arte também pode estar visitando outras culturas, corpos e cores. Aliás, esses são muito mais ricos exatamente por não precisarem de dinheiro e o glamour dos holofotes para brilharem. Repara só no metrô, na faculdade, na menina desconhecida da sua rua. Tenho certeza que em algum desses lugares existem pessoas tão interessantes (ou mais, na minha humilde opinião) que it girls bombadas.

2012-newyear-quotes-2

E, com esse texto meio sem nexo, fio condutor ou conclusão adequada, quero dizer que vou frequentar mais meu espaço preferido, continuar escrevendo sobre o que eu gosto e, também, que desejo para vocês – e para mim! – um 2015 com menos censura, preocupações e muito mais diversão, (ins)piração, cores, formas e auto conhecimento. Na moda e na vida. Feliz Ano Novo e nos vemos mais vezes por aqui :)

Beijos, beijos

[Desejo do dia] ‘Cause I’m gipsy

tumblr_ml62htqdwd1qcbb4yo1_500Camadas de roupas em texturas, materiais naturais misturados com metais, uma quantidade louca de acessórios, peças fluidas, franjas e MUITA estampa. O estilo inspirado nos ciganos tá absurdamente em alta e, apesar de ter uma carinha bem 70’s, é muito atual. A cada foto que eu encontro com referências gipsy, fico mais apaixonada na riqueza de detalhes dos looks. Vocês já perceberam que, mesmo sendo super descontraído, o visual final fica phyno e muito amor?

E por que não incorporar um pouco dessa vibe mais nômade ao armário!? Ando super a fim, então fui catando inspirações e colocando na minha pastinha. E compartilhar é sempre bom ♥ Esses são alguns toques que podem muito ser adicionados aos nossos looks sem ficar muito exagerado ou caricato (acho exagerado lindo – de verdade! – mas eu não encaro ainda)

Mix infinito de pulseirasGipsy_01

Aqui já estamos acostumadas, né? Quem aí nunca fez um mix com metais, couro, pulseirinha dessas que vendem aqui na praia, strass e tudo que tiver direito!? É mainstream, mas é incrível e super fácil de montar e deixar qualquer look mais estilosinho.

Acessórios de cabeça super diferentesGipsy_02

Ok, os dois de baixo são um pouco mais conceituais, confesso. Mas são lindos, vai? De repente pra um festival ou alguma ocasião assim, que a gente fique com vontade de ser mais diferente. Já o primeiro é incrível e super usável. Até rolam uns DIY (e eu tô pensando em fazer pra mim hehe). Dá bossa pra qualquer camiseta branca + jeans detonado

Estampas gráficas & floridasGipsy_03

Autoexplicativo, mas os padrões estão por todo lado, principalmente os geométricos étnicos e os floridos (muitas vezes os dois juntos!). Gosto demais dessas estampas diferentes, mas não me arrisco a misturar porque são sempre bem marcantes. Mas acho fácil e lindo usar uma peça dessas com um jeans, por exemplo, ou finalizando tudo, como no caso dos kimonos ;)

Misturas ♥Gipsy_04

O mais bonito dessas história toda: os gipsys misturam TUDO! Cores, materiais, texturas e acessórios com pesos diferentes – como braceletes enormes junto a pulseiras fininhas, franjas e metais, penas e couro. Por isso, também me permito à licença poética de misturar um tico do urbano, do boho (que não é a mesma coisa), do afro etc ao estilo deles.

Perceberam que eu tô apaixonada? Quero adotar tipo agora! haha Quem divide a vontade?

Beijos, beijos

Estilo: Marina Ruy Barbosa

A atriz Marina Ruy Barbosa tem 17 anos – o cabelo mais lindo do universo inteiro -, começou sua carreira ainda criança (quem aí não lembra dela com o Totó em Belíssima?) e reapareceu na televisão em 2011 no papel de uma vilã bem estilosinha em Morde&Assopra. 

Foto: Reprodução / Edição: Cléo Santiago

Sua personagem se destacou, sem sombra de dúvidas, pelos looks que usava e, consequentemente, passamos a notar Marina no seu dia a dia. O engraçado é que seu estilo acaba sendo bem parecido com o da vilã que interpretava e, bem, nunca saberemos quem inspirou quem, mas o resultado foi ótimo. Sempre que é clicada, ela está muito bem arrumada e cool. Mesmo assim, seus looks são bem copiáveis para nós mortais (mais do que de muita bloguete por aí!).

Como vocês devem saber, é bem complicado achar fotos decentes das atrizes brasileiras em lugares mais ‘relaxados’ (os paparazzi daqui só curtem a praia, vai entender), então encontrei poucas combinações casuais. De qualquer forma, dá para começar a ser inspirar:

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Básico com uma pitada de sal, não acham? Combinações que todas nós fazemos no cotidiano, mas com muita calça de couro, camisa social, jeans e outras peças ‘atualizadoras de look’ como o colete de pelúcia. As roupas de night dela também não deixam em nada a desejar, fazem com que babemos naqueles dias que ‘não temos nada pra sair!’ (e nos outros também, btw).

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Rendas, franjas, couro,brilhos, comprimento mini, olhão preto, ufa, beeeeeem feme fatale  mesmo, o que a faz parecer bem mais velha (seja isso bom ou ruim). Você pensa que acabou por aqui? Nada! Ela ainda usa cada vestido maravilhoso para eventos  importantes como casamentos e premiações. Quem sabe pra uma festa mais chique na ‘vida real’, né?

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

A escolha de tons sempre acaba sendo bem puxada para o preto e tons terrosos, será pra combinar com o cabelo?E aí, vocês gostam do visual dela?

Beijos

 

Estilo: Débora de Avenida Brasil

A Débora, personagem de Nathália Dill linda e maravilhosa, da novela das 21h é uma carioca da Zona Sul bem moderninha (super vejo uma blogueira de moda nela hahaha). Ela tem um estilo meio boêmio, meio hippie, bem hi-lo mesmo.

Foto: Reprodução

 

Ela abusa das t-shirts podrinhas, saias longas ou de franjas; usa mix de pulseiras com direito a spikes, shambalas, correntinhas, etc; vive com mil anéis, inclusive um do Darth Vader que eu babo horrores; sempre marca a cintura com um cinto bem detalhado e vive com botinhas, seja com ou sem salto. Bolsas tipo carteiro ou de franjas também fazem parte do seu guarda-roupa.

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Fotos: Reprodução / Montagem: Cléo Santiago

Se  inspirar na personagem pro dia-a-dia é bem fácil, afinal as peças são fáceis de achar. Esse top rendado – que ela não tira nunca – é da Espaço Fashion, já vi saias idênticas as dela na C&A e na Riachuelo, blusas podrinhas eu nem preciso falar, acho que todo mundo tem pelo menos uma no armário. As roupas dela de academia também são uma graça: top rendado, blusa podrinha ou moleton, legging e tênis fofo. O vestido usado no casamento do Cadinho era maravilhoso, mas não achei nenhuma foto na internet (poxa, Globo, melhora esse cachê de fotos aí)

Só acho que o figurinista peca por cair na mesmice. Não sei que mania louca é essa que novela tem de colocar os personagens com as mesmas roupas sempre,  só mudar as cores, praticamente. Uma coisa é ter estilo próprio, outra é se limitar a uma única combinação de peças. Concordam comigo?

Beijinhos